Vereador propõe operação Raio X no atendimento da saúde em Toledo

A estratégia é sair do foco dos casos isolados e partir para ações mais sólidas que possam beneficiar o coletivo fazer avançar as políticas de saúde pública de Toledo.

A proposta foi apresentada durante o discurso do vereador Marcos Zanetti (PDT) na durante a sessão ordinária da Câmara de Vereadores, nesta segunda-feira (13).  Em síntese, Zanetti propôs que a Comissão de Saúde fiscalize e faça um levantamento dos atendimentos no Mini-Hospital e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). O estudo será realizado com pacientes, familiares e com os profissionais de saúde no local de atendimento. Zanetti é vice-presidente da Comissão de Saúde, Seguridade Social e Cidadania (CSS). 

Para Marcos Zanetti, será uma oportunidade de obter as informações direto da fonte, sem interferências e informações deturpadas. “A abordagem dos pacientes, familiares trará um panorama mais humanizado e próximo da realidade enfrentada pelos cidadãos ao acessar a saúde pública de nossa cidade. Temos que ir até a população e de forma democrática perguntar sobre o atendimento da nossa população”, esclarece.

O vereador lembrou as constantes citações e procura dos pacientes e familiares pelos vereadores, a Comissão de Saúde faz o processo inverso e coloca-se a disposição para entender o fluxo e observar as possíveis melhorias para a comunidade. “Temos condições e precisamos exercitar as Comissões para vivenciar estas situações de uma forma pratica, discreta e resolutiva”, explica o vereador.

Na proposta, Marcos sugere que a Comissão faça visitas não anunciadas aos pontos de atendimento de emergência para averiguar o atendimento e também a situação do corpo de servidores disponível naquele momento. “Não basta olhar pura e simplesmente para o paciente. Nossos olhos precisam voltar-se também aos familiares que precisam ser acolhidos e informados com muita dignidade, bem como para os profissionais que precisam estar amparados e estruturados para cuidar da vida”, conclui.

Nas visitas a Comissão além de conversar com os pacientes e servidores, aplicará um questionário de avaliação que deve gerar dados importantes para mudanças e aperfeiçoamento das políticas públicas. Outro aspecto que a proposta visa elucidar é o fluxo e a transferência de pacientes mais graves.

 

Edna Nunes/Assessoria.

Facebook Comments