Toledo reduz índice de infestação da dengue

O terceiro Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) do ano foi realizado nos dois primeiros dias do mês de julho (01 e 02) e resultou num índice de infestação de 1%. A recomendação do Ministério da Saúde é que não se ultrapasse esse percentual. Foram visitados 1.920 domicílios em Toledo esta semana.

O primeiro índice do ano foi o mais crítico até o momento, apontou índice de 3,8% de infestação em janeiro. O segundo levantamento foi realizado em abril, quando a infestação caiu para 1,4%. O próximo levantamento deve ser realizado no mês de outubro. 

Segundo o Coordenador do Setor de Controle de Endemias, Selidio Schmitt, já era esperado esse resultado, pois ficamos mais de 20 dias sem chuva, então o próprio sol acabou eliminando alguns criadouros. “A equipe também está fazendo visitas com mais frequência, pois estamos com 84 agentes em campo, isso ajuda bastante”, afirmou. 

Selídio também destacou a importância do trabalho da Secretaria de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento. “A Secretaria tem colaborado muito, pois a retirada de entulhos como sofás, tvs, pneus e móveis velhos e a destinação adequada reduz significativamente o número de criadouros, facilitando inclusive o trabalho dos agentes de endemias”, disse o Coordenador. 

 

Alerta

A Secretaria da Saúde do Paraná alerta a população que as medidas de prevenção contra a dengue devem seguir mesmo no inverno. A circulação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença, diminui com as temperaturas mais baixas, mas os ovos podem permanecer intactos por meses se os criadouros não forem eliminados. Estes ovos vão eclodir quando a estação mais quente chegar, dando origem a um novo ciclo do mosquito.

Segundo a coordenadora da Vigilância Ambiental da Secretaria Estadual da Saúde, Ivana Belmonte, a prevenção é a forma mais eficaz de se combater o mosquito. “É uma tarefa que depende muito da contribuição da população, pois mais de 60% dos criadouros estão nos quintais e dentro das residências, em recipientes que acumulam água parada”.

 

Constatação

Em Toledo, o 3º LIRAa apontou que os locais que foram encontradas as larvas do mosquito são todos de fácil remoção. Basta um olhar mais atento da população na hora de vistoriar o seu terreno para eliminar de vez a procriação do Aedes aegypti

“A chegada do inverno é hora de arrumar a casa, pois agora é o momento de prevenirmos não só a procriação do Aedes, mas também do pernilongo, que também incomoda muita gente. Ter atenção com qualquer objeto que possa acumular água é fundamental”, salientou Selídio. 

 

Dicas

Ele destacou algumas dicas simples para eliminar de vez a proliferação do mosquito: Limpar calhas, caixas d’água sempre bem tampadas, quem recolhe água de chuva é importante vedar o acesso. “É importante que mesmo no inverno a água da piscina seja tratada com cloro. Lavar as bordas internas dos bebedouros de animais (cães e gatos principalmente)”. 

 

Locais críticos

Apesar do índice estar controlado no município, ainda existem algumas localidades que o número de larvas preocupa as autoridades sanitárias. O Coordenador de Endemias informou que o Programa está com agentes em todas as localidades (84 ao todo) e que apenas serão reforçadas as equipes nos bairros com índices mais críticos. 

 

Confira os locais mais críticos e o índice de infestação em cada um deles: 

América II – 8,3%

Tancredo II – 8%

Santa Clara I – 6,4%

Operária – 5,3%

Bressan – 3,5%

Orquídeas – 3,2%

Améria I – 2,8%

Vila Becker 2,8%

Centro – 2,5%

Panorama II – 2,5%

Santa Maria – 2,5%

Fachini – 2,3%

Boa Esperança I – 2,2%

 

Prefeitura de Toledo.

Facebook Comments