Raimundos e CPM 22: Rock In Rio 2019 (Vídeo).

Dois nostálgicos nomes do rock brasileiro, CPM 22 e Raimundos fizeram, neste sábado (28) no Rock in Rio, qual foi – até agora – o verdadeiro encontro desta edição do festival.

Curiosamente, o encontro não aconteceu no Sunset, um espaço em teoria dedicado a esse tipo de apresentação. Mas na abertura do Palco Mundial, no segundo dia da festa.

Lado a lado, as duas bandas tocaram hinos punk e hardcore, que ocuparam programas de rádio e TV nos anos 90 e início dos anos 2000, épocas que já parecem distantes na música brasileira.

Digão, vocalista de Raimundos, e Badauí, do CPM, dividiram microfones nas 16 músicas do setlist, intercalando as faixas mais conhecidas de cada banda.

Raimundos e CPM 22 – Rock in Rio

Veja o vídeo de Raimundos e CPM 22 Rock in Rio

O público, mais velho do que o que parecia ver Drake no primeiro dia do festival, retribuiu a sincronia. Apaixonado, ele cantou do começo ao fim e formou rodas no meio do público.

Dois nostálgicos nomes do rock brasileiro, CPM 22 e Raimundos fizeram, neste sábado (28) no Rock in Rio, qual foi – até agora – o verdadeiro encontro desta edição do festival.

Curiosamente, o encontro não aconteceu no Sunset, um espaço em teoria dedicado a esse tipo de apresentação. Mas na abertura do Palco Mundial, no segundo dia da festa.

Lado a lado, as duas bandas tocaram hinos punk e hardcore, que ocuparam programas de rádio e TV nos anos 90 e início dos anos 2000, épocas que já parecem distantes na música brasileira.

Digão, vocalista de Raimundos, e Badauí, do CPM, dividiram microfones nas 16 músicas do setlist, intercalando as faixas mais conhecidas de cada banda.

O público, mais velho do que o que parecia ver Drake no primeiro dia do festival, retribuiu a sincronia. Apaixonado, ele cantou do começo ao fim e formou rodas no meio do público.

Depois de “I can not live without having you”, CPM, Digão ficou emocionado ao falar sobre a relação com Badaui.

“Quando eu ouvi essa música pela primeira vez, eu não pensei que nós nunca estaríamos cantando juntos nesse palco”, disse ele. “Tenho o maior respeito por ti, pela tua história. É uma amizade real”.

Em outro momento, embrulhado em uma bandeira, o cantor de Raimundos disse que estava “orgulhoso de ser brasileiro”. O público respondeu com gritos contra o presidente Jair Bolsonaro.

Em um aquecimento para um dia de rock melancólico, fechado pelos Foo Fighters, Badaui se aproximou do fim: “Ouço cada vez que a pedra está morta. Quem está morto acha que sim”.

 

FONTE: G1.

FOTO: Assessoria/Rock in Rio.

Home.

Facebook Comments