De bem com a ansiedade e o estresse: Começando pelo que você come!

Por Alessandra Fiori – Nutricionista.

A nossa relação com a comida anda bem conturbada, engolimos os alimentos e comemos sentimentos, a ansiedade e o estresse têm sido o mal do século, duas doenças que são também totalmente relacionadas à nutrição.

Os medicamentos se tornam rotineiros, muitas vezes se torna pouco, doses altas para diminuir sofrimentos e lidar melhor com os sintomas, mas não seria mais conveniente tratar as causas destes problemas?

Começando pelo que comemos, junto ao medicamento, também entra no organismo doses altas de açúcar, conservantes, farináceos e alimentos refinados, até porque, a ansiedade se torna um gatilho para a ingestão destes alimentos, que são viciantes, aumentam as ligações sinápticas e prejudicam e muito a nossa função intestinal.

No intestino produzimos alguns hormônios importantes para o controle do estresse e da ansiedade, como a serotonina, dopamina e alguns neurotransmissores do bem-estar, para isso acontecer, ele precisa estar saudável, recebendo alimentos bons para nutrir as bactérias boas e deixar suas vilosidades perfeitas. Além disso, é através dos alimentos que vai ser possível secretar estes hormônios.

A secreção da serotonina é dependente de triptofano e proteínas, que tem suas fontes no leite, cacau, castanhas, banana, sendo indispensável o consumo de fontes de triptofano para o tratamento da ansiedade e do estresse.

Em momentos de ansiedade, o magnésio é rapidamente consumido, sendo um mineral importantíssimo para a função dos neurotransmissores nas sensações de alegria, satisfação e bem-estar.

Se você é uma pessoa ansiosa e/ou estressada e não tem uma boa ingestão de magnésio, muito provavelmente estes estímulos estarão prejudicados, fazendo com que você se sinta ainda mais ansiosa, neste sentido, alimentos como banana, vegetais verdes escuros e ricota são importantes.

A vitamina C, presente na laranja, acerola, limão, possui forte influência no sistema imune, que é prejudicado em situações de estresse contínuo, além disso, possui propriedades que diminuem o cortisol (hormônio do estresse) e participa da produção de dopamina.

As vitaminas do complexo B são indispensáveis para manter o sistema neurológico equilibrado, melhorando muito às respostas ao estresse e ansiedade. Carências de vitaminas do complexo B estão relacionadas à um aumento da ansiedade.

Pacientes que sofrem com o estresse e a ansiedade necessitam ter uma boa ingestão de alimentos ricos em antioxidantes, com o objetivo de minimizar os efeitos negativos destes problemas, como o envelhecimento precoce.

O intestino necessita estar regado com bactérias boas, muitas vezes a utilização de probióticos, com prescrição de um nutricionista pode ser necessário para melhorar a flora intestinal e produzir todos os hormônios normalmente.

Muitas vezes a ansiedade e o estresse estão associados a uma hipoglicemia de rebote, ou seja, quando é consumido alimentos de alto índice glicêmico e a insulina sobe rapidamente para atender a demanda de açúcar na corrente sanguínea, ocasionando uma hipoglicemia de rebote, que resulta em irritação, ansiedade e fome descontrolada.

O glúten tem uma forte relação com a ansiedade, sendo uma proteína muito inflamatória, que quando digerida pode ultrapassar a barreira intestinal e causar danos ao sistema nervoso.

Sabendo de tudo isso, além de um acompanhamento psicológico, visitas ao nutricionista são de extrema importância para descobrir as causas destes problemas e buscar o melhor tratamento possível.

 

Alessandra Fiori, 21 anos. Nutricionista e Pós Graduanda em Nutrição Clínica Funcional

 

Fotos: Pexels * https://www.pexels.com/

Facebook Comments